14 de junho de 2011

SANTO ANTÓNIO DE LISBOA

.
@Santos&Santinhos
.
.
Quem não conhece a procissão de Santo António de Lisboa não adivinha o que nela vai, o que nela se presencia e o que dela na pele se sente.

A fama da laicidade do povo de Lisboa não chega para apagar dos seus corações a devoção a este vulto. Afinal quem se soleniza nesse momento não é um qualquer beato da cristandade como Vicente, o diácono estrangeiro que da cidade é senhor, mas o "Nandinho", o filho do Bulhões da Sé, que em criança viva vivinha como um pardal-dos-telhados percorrera aquelas mesmas ruas gritando para os céus como qualquer criança estroina fruto daqueles bairros que a Alfama convergem. Degenerando à raça das suas gentes não foi fadista mas santo.

Começa a procissão. O povo que já é muito cerca o "santo" aplaudindo a passagem da sua eloquente e erudita imagem de traços assim talhados. Rosto jovem e inocente adivinhando-se nele tanto para dar e tanto ainda para dar, malgrado tantos anos passados. Hábito franciscano de rendilhados dourados assim o adornam. No braço Jesus petiz e na mão uma cruz florida. Coroado de prata caminha sobre um andor pousado num jeep de bombeiros disposto para acavalar a ocasião.

Avança a marcha. De todo lado junta-se o povo vindo sabe-se lá de onde fazendo esperas nas ruas mais largas ou amontoando-se atrás da banda de música que por entre marchas graves em tons menores e pesados nos faz pensar nisso mesmo: o fado e o fardo que é a nossa insignificante vida medíocre sem eco e brilho, contrária à daquele a quem se faz honras no andor. A lágrima surge facilmente. A pele sente-se e enruga. O povo que é imenso e imponente reza e canta. Canta o "Avé de Fátima" trazendo à memória essa outra grandeza espiritual portuguesa que a 13 de Junho também se assinala - acrescento ao meu caro leitor atento nestas palavras que o senhor D. João V de Portugal nos idos anos do seu século ergueu em Mafra uma basílica dedicada a Santo António e a Nossa Senhora. De facto, de um pomposo acontecimento particular hoje vemos esta feliz conjunção consagrada e popularizada espontaneamente a todo um Portugal do século XX que neste dia 13 parece que nada esquece.

Caminha-se por ruas estreitas. Ruas onde se adivinha a longa vigília antoniana. Momentos nos quais a sardinha vestida de prata e de lua foi rainha e a cerveja na sua cor solar rei fulgurante portador de alegrias. Deles agora apenas o vestígio. Exalam-se das paredes o odor gordo do fumo negro saído do sacrifício e dos cantos o fedor do fulgor da noite inteira. É por aqui que corre Santo António perfumado por nuvens de incenso impostas pela força do turiblo arremessado ao ar. Vêem-se colchas nas janelas. Tocam sinos que ecoam  aqui e ali num tímido repique. Chovem pétalas de flores. Desfilam autoridades, irmandades, padres, acólitos, diáconos e franciscanos da ordem terceira. Escuteiros e polícias velam pela ordem de um povo crente com o terço, flores e velas nas mãos como de um outro de mirones de máquina fotográfica em riste. Eixo de toda a procissão com o Santo marcham  pendões, São Tiago, São Miguel, Santo Estêvão, São Vicente, São João Baptista e uma sua relíquia exposta pelas mãos de um arcebispo cobertos por um dourado palio. Todos compondo a famosa procissão acrescentam em cada passo para o seu termo cor, beleza e majestade matizados pelo brilho esplendoroso do luminoso astro rei que lá do alto consente a esta festa honra e graça sorrindo a esta cidade que assim se parece mais bonita.

É esta a procissão e é este o santo de Lisboa. A memória da criança que em tenra idade se distinguiu pela sua voz argente que o fez receber na Sé. Menino do coro cresceu. No canto, na música e na lições do chantre e dos mestres da Sé amadureceu e dali saiu para não mais voltar a Lisboa - somente para embarcar rumo ao destino que o imortalizou. Pela sua voz aos sermões se fez e neles eloquentes discursos elaborou para fama do seu órgão vocal e da sua língua de oiro que em oiro se guardam e lá longe, em Pádua, se veneram.


NEWS:

PSP deteve 135 pessoas no fim-de-semana prolongado , Alto do Pina vence Marchas Populares de Lisboa , Alto do Pina venceu as Marchas Populares de Lisboa , As noivas de Santo António já não vão ao médico. Veja como tudo mudou , Santo António. Monte o seu estaminé, porque o santo da casa não faz todos os milagres , Depois do Santo António e S. João... chegou o S. Pedro , E as sardinhas vencedoras são… Festas de Lisboa têm novos símbolos , Festas da cidade de Lisboa arrancam hoje com espectáculo na Baixa , Sant'António quase a acabar , CP com comboios especiais na madrugada dos Santos em Lisboa

Sem comentários:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails