23 de agosto de 2010

SÃO ROSAS, SENHOR! AH, POIS SÃO...

 .
 retirado daqui


É Verão, sim de facto... e as festas abundam por aí! Festas tão antigas que se perdem na memória. Festas cada vez mais exigentes carregadas de populares, petiscos, procissões, foguetes, bandas de musicas, artistas e a Rosinha! Sim, a Rosinha.

A Rosinha, caro leitor, é a nova coqueluche da brejeirice nacional. A emancipação do trocadilho de cariz sexual no seu género cançonetista, que agora, sem bigodes ou postiços, ganha contornos no feminino sem a robustez de uma penugem mediterrânica que melhor suporte de dignidade dariam ao conjunto, face a quantidade de pérolas  barrocas diluvianamente largadas por esta distinta menina de esmerada educação.

Assim à pornochachada estival das marcas promotoras de mini cerveja (quando cerveja é sinónimo de excelência da virilidade de uma grande caneca como crisma de qualquer homem certo das suas convicções) materializa-se agora este miraculoso sex symbol andante capaz de fazer arrebatar aquele assobio apaneleirado a um pneu de um camião. Bebe-se, vê-se e crê-se! Rosinha, a nova "Virgem" milagreira!

Rosinha lá vai! De ar urbano assaloiado, porte sensual, com uma musette às costas e de óculos escuros, clichés mais que vistos no género musical (Eugénia Lima e Stevie Wonder, está claro, ou será Quim Barreiros e Pedro Abrunhosa), mostra-se  assim disponível e para as curvas - aquelas que lhe levarão a muitos palcos e lhe darão muito dinheiro, explorado à conta de facilitismos verbais.

Por fim, como uma jovem civilizada e  bem estudada, propósitos tão caros às modernas raparigas portuguesas, como a algumas experimentadas nos cursos nocturnos do INP (por exemplo, de guia turística de locais recônditos) nesta cantarolada oralidade compete na erudição, lá tão bem aprendida, com as poetizas nacionais em palavras de grande profundidade, emprestadas aos seus melhores temas. Ora, analizemos:

Eu chupo, eu chupo
E vou rodando para ele não pingar
Eu chupo, eu chupo
E no fim fico com o pau a brincar

ou
Eu levo no pacote
Eu levo sim senhor
Eu levo no pacote
Tem outro sabor

Eu levo no pacote
Eu levo sim senhor
Eu levo no pacote
P'ra gosto do meu amor!

Por meros momentos que sejam, efémeros mesmo, este sol e dó de arremessos fáceis um homem desprevenido esboça um sorriso purgatório e atira para atrás das costas a má disposição habitual, já que com tanta desgraça junta este verão não seria verão sem a Rosinha e as suas engraçadas bailarinas. O povo gosta, nós aceitamos!

Ei-la desfilando, cantando e dançando com a mini-saia esvoaçante inspirando às gentes ditos populares:

Rosa
Rosinha
Roseta... ai!!!... o bálsamo para todos os homens de todas as idades pós-puberdade. 

Veremos entretanto como se safa esta cigarra no Inverno e como chega ao próximo Verão...

Por agora, e como o arraial é só na sexta-feira, enquanto nada acontece, ficarei na Beatrice di Tenda sem que seja caso para dizer, como nunca será e como jamais será: volta Leyla Gencer, estás perdoada!




NEWS SWEN NEWS:


11 comentários:

Nina disse...

O que me ri com este post, Bartolomeu. Mas tb não exageres! Pobres moças! Não as imagino de bigodes farfalhudos.lol
bji

Otário disse...

o quim barreiros não pode com a mulher, diz que é uma imitação pura do homem, até parece que foi o homem que inventou a brejeirice!

Bartolomeu disse...

@Nina,

chama-se buço e fazia toda a diferença. A Maria Callas tinha um e a minha avó também, mas não cantava.

Bjnhos

Bartolomeu disse...

@Otário,

como diz a vox pop:

"quem tem cu, tem medo!"

Não é um dito de palavras brutais, para este contexto é brilhante.

Abraço

Bartolomeu disse...

@Otário,

como diz a vox pop:

"quem tem cu, tem medo!"

Não é um dito de palavras brutais, para o contexto do post é brilhante.

Abraço

Leca disse...

Flutuei até aqui para...
agradecer...
a sua presença...
em meu Nat King Cole...
Beijos...musicais...
Leca

Preciosa von Brünnen e Maria dos Remédios disse...

La la la la quando vien la sera!

Bartolomeu disse...

@Leca

Ora, e eu agradeço a sua neste post!

Bjnhos

Bartolomeu disse...

@Preciosa von Brunnen e Maria dos Remedios

la la la quando vien la sera... c'e sempre una novita qui nell mio blog!

Siete benevenute, grazie!

un abbraccio

polittikus disse...

Assisti a um espectáculo na desta senhora na terra do senhor meu avó... Com letras desde "eu levo no pacote" ou " eu chupo", é um quim Barreiros de snaita... lolololol

cortavicente disse...

Por um mero acaso dei com este post e tive vontade de comentar.

Assisti a um espectaculo da Rosinha no passado dia 22 de Agosto e fiquei deveras impressionado, mas pela positiva.

É verdade que as letras das suas musicas são todas brejeiras e o espectaculo dela é feito à medida de andar por esse "interior" a chocar as pessoas.

O que me impressionou é que a rapariga tem uma boa voz, sabe o palco que pisa e improvisa como ninguém. Não fosse o caso de cantar as musicas que canta diria que estava na presença duma excelente cantora. O mal destas coisas é que provavelmente ela precisa de ganhar dinheiro e caso explorasse outro género musical não ganhava nada.

Por muito que custe admitir a Rosinha é muito, mas muito superior a Quim Barreiros ou a qualquer outro pimba.

Vi e gostei muito.

Abraço e desculpa o tamanho do comentario.

Jls

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails