12 de julho de 2010

BACK!

.
Caro leitor: Ciao, good evening, ça va bien?

Espero que a (re) descoberta de tantas horas aqui materializadas em linhas, fotos, desenhos e afins tenham sido do vosso maior e agrado. Para mim foram, acreditem. Escrever cada post do passado, mas do passado remoto desta existência, foi um pedaço de mim exposto no meu estado mais puro. Razão pela qual optei por me chamar de Bartolomeu. Já tirei os óculos e um pouco me descobri, é certo, mas este nome de Santo ao qual já me habituei, perdurará como a minha mais fiel identidade já que por ela nada escondo ao mundo. Por isso, hoje escrever tais pérolas gotosas de fé não fariam nenhum sentido nalgumas dessas reuniões de palavras e de ideias que tanto zelei. O primeiro Santos & Santinhos era dedicado às beatitudes assemelhando-se a uma certa necessidade de fanatismo religioso interior, revivalista de uma infância e adolescência beata. Se na altura brincava aos altares, aos santos e às procissões - recrutando viva-almas da minha idade para acolitarem este galopante delírio que tal como incenso pretendia raiar os céus para com ingenuidade infantil agradar e obter dele o favor e a protecção divina - o aparecimento deste blog não foi mais que o retomar e o remontar de tais altares e recrutar um espectro muito mais alargado daquele que fiz antes da puberdade, e que aqui, mais do que companhia para brincadeiras (as minhas brincadeiras) serviram para ajudar a exorcizar medos e fobias das incertezas do amanhã. É verdade, caro leitor, aceite aquilo que está a pensar, neste sítio de tanto cá vir comungar desta prosápia de textos, tornou-se uma vítima dessa minha condição. Imagine-se agora um dos tais meninos e meninas, segundo a sua preferência, que fazia sentar numa Capela improvisada num canto do Quintal ou da Garagem a dizer Ámen nas Missas que organizava, prestando-se a dado momento, segundo o ritual, abrindo a boca para a comer das minhas mãos bolachas como hóstias, como garantia que as tais procissões não entravam em debanda e que passavam do portão lá de casa, para dar umas voltinhas pela rua.

Portanto, desse grito exasperante, assim como do homónimo distorcido de Munge, já se perdeu a feição e do eco ficaram as palavras que de certo leram e estimaram. Caro leitor, não acalente tal regresso, pois, caro leitor saudosista, seria desejar-me más coisas, sobretudo o retrocesso a um estádio que já não desejo. Hoje, nesta nova puberdade os interesses uma vez mais apontam para outros sentidos: Mundanices, politiquices, fanfarronices, putanhices e outros ices que tais... em que manter o vigor para as enfrentar a todas formas e feitios é a minha única preocupação.

Agora para si, caro leitor afoito-à-necessidade-de-fatalidades-e-afins lamento informar que nunca foi minha intenção de fechar o blog. Se bem que por uma questão de higiene mental, um espaço com dada personalidade hermética significante de um ente ou um alter ego ocupante de um espaço em que a necessidade de viver é tão grande quanto a de morrer, quando mais não se justifica, será sempre sempre mais salubre existir noutro espaço. Porém, não! Assumido que sou na minha personalidade activa, capaz de sofrer mutações numa existência de work in progress, para combater a mediocridade do menos bom ao aceitável, declaro que com todo o sofrimento de um up-grade este espaço perdurará em regime perpétuo com a esquizofrenia habitual.

Ainda noticiando os meus conflitos pessoais expressos, comunico-lhe, caro leitor, que não só entrei numa Licenciatura como entrei com a melhor nota e por conseguinte em primeiro lugar. É verdade que me entristeceu a minha incapacidade de não ter conseguido melhor nas provas que prestei, nem estar à altura das minhas capacidades. O meu habitual pessimismo, desta em tom melo-dramático, ocupou-se, por causa das minhas manias, de me reconfortar até ao momento em que a acérrima verdade foi revelada nas pautas.

Por fim: é tão difícil trabalhar com mentecaptos arvorados a licenciandos e mestrandos da minha área de trabalho. Exasperei! Fui castigado com horas perdidas a refazer o que fiz com mestria e garbo, pela incapacidade de quem só sabia dizer que era professor universitário, como se isso lhe valesse ali de muito, acrescentando que o que estava à sua guarda desaparecera misteriosamente. Os tomates-do-Padre-Inácio para esse Senhor, bah! Malgrado tantos conhecimentos e diplomas não sabe... não sabe numa leitura identificar algo que será equivalente como na linguagem visual de uma trivial costureira diplomada em corte-e-costura, já que se tratam de instrumentos do seu metier, a distinguir um alfinete-de-cabeça de um alfinete-de-dama. Basta, já fui má pessoa o suficiente a exorcizar por todo lado, a quem ouvidos me deu, este Diabo que não mereço e que vou ter de aturar no futuro... mais, que aparentemente se quer ocupar das minhas funções!
.
.

18 comentários:

Nina disse...

Huum...alguém te magoou, Bartolomeu?
Anda mta gente por aqui a tentar tramar os que n chateiam ninguém.
Oxalá tenha interpretado mal.
Bem-vindo, de novo, ao teu cantinho, com tdas as -ices- que aqui quiseres expor. Gosto de cá vir, embora seja menos assídua do que no início.A beleza que emana das tuas palavras e bem maior do que a que provém de muitas imagens que aqui colocas:)
bjis

Bartolomeu disse...

@Nina

os que não chateiam são sempre os que aos outros incomodam mais, e esta hein!

Abraço

é texto,e do bom! disse...

Oh Bartolomeu, não me digas que decidiste ir p'ra Teologia meu caro.

Bartolomeu disse...

@é texto, e do bom!

ainda não foi desta, mas não descarto essa hipótese!

Abraço

L.O.L. disse...

Quase duas semanas sem postagens. Finalmente. HEHEHEHE. :)

Leca disse...

Bartolomeu...
obrigada pelo carinho...
comigo ecom a Florbela lá no meu blog...
Fiquei feliz com a sua volta...
Quem são os parvos...que te chateiam...
Beijossssssssssssssssssss
Leca

polittikus disse...

Susoeito que te inscreveste no Curso Ciência das religião da Lusofona...
Ps- As melhores dessa guerra de alter-ego's. lololol

Maionese disse...

finalmente de volta à blogosfera... e que regresso este! :)
bem haja!

novo post em
http://forcanamaionese.blogspot.com

master atheist disse...

Bartolomeu disse...
Podia aqui contar uma estória
mi disculpe xará pensava qui ocê fosse canarinho
histórias da estória

master atheist disse...

a été enregistré. Il sera visible une fois que le propriétaire

car ce recueil s'adresse tant aux croyants qu'à tous ceux qui s'intéressent à la substance de la vie ...

je n'appele pas a votre développement spirutuel

Mariz disse...

Bartolomeu

Vi-o en passant no Intemporal
Ainda quer ser santo?
Essa profissão dói e muito! A começar por quem lhe quer (des)ocupar o lugar e engorda a debitar diplomas qb.
Cuidado! Ou ou é karma, ou é espelho!Nada é "por acaso" e tudo vem ter connosco no tempo certo...é porque vc já cresceu na sua "santidade" o suficiente para saber agora como se safar desse mesquinho tonto e doutros!

Depois volto....
Para o ajudar a "salvar-se"!
E espero que "idem"!
Afinal...
Santos ao pé de casa...FAZEM MILAGRES! - contrariando o ditado!

Deixo um postalinho com um qualquer santo a seu gosto - penso que talvez S. Francisco, não?
Também é um dos meus preferidos!

Sempre...
Mariz

Nina disse...

Inteligente resposta, como sp;)
bji gde

Bartolomeu disse...

@L.O.L,

mas deixei tantos post para ler!

hehehehe...

:)))

Bartolomeu disse...

@Leca,

sobre o video, estava em falta consigo sobre um certo tipo de musica gostaria de descobrir.

Abraço

Bartolomeu disse...

@polittikus,

frio, frio, frio... lol


Abraço

Bartolomeu disse...

@Maionese,

estive sempre por aqui, ainda que em efervescente estato meningitico com recursos a esfumarem-se por entre os dedos...

Abraço

Bartolomeu disse...

@Master atheist,

seja bem vindo, bienvenue!

Abraço

Bartolomeu disse...

@Mariz,

seja bem vinda...

já quis ser santo hoje só uma pessoa normal a querer viver de acordo com o mundo em que está inserido.

Venha sempre que queira estaremos sempre ao seu dispor.

Abraço

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails