6 de junho de 2010

OS ÚLTIMOS DIAS...

.
Envolto em mil coisas que me levam ao nada e ao marasmo vejo os dias a correrem galopantemente sem a noção da regra diária. Ontem era Domingo e já hoje é Domingo. Impressionante! Só, sem graça, esquecido e desprezado, eis-me aqui, agora, nesta hora e instante, sentado no desconfortável chão de tijolo, tentando exprimir a minha inércia e incapacidade de produzir algo.

As minhas mãos, ociosas de algo perdurante, anseiam a diferença mas delas nada sai. A Mother board corrompida executa em moto perpetuo um binarizado sistema: 0 1 0 1 0 1 0 1 0 1... traduzido por sentimentos, gestos, atitudes e supressão de necessidades primárias. Há semanas que não toco no meu piano algo que não seja interrompido pelo desânimo... e hoje, enquanto me exprimia num impulso inspirador, buscando na janela aberta uma ventilante e refrescante brisa a este calor que me envolve e me entorpece a razão, sinto um desconhecido passeante troçar-me. Mentecapto! Insensato espírito, rindo. Não de mim, por certo, mas da sua estupidez e da sua perversa incultura. Criatura que pela repudiante expressão crítica, merecia ser privada imediatamente do sentido da audição já que Beethoven, Verdi e Auber, que tentava expressar, pela grandeza dos seus méritos, tal não merecem. Vil e Canalha esta criatura do sexo fraco, provando o quanto fraca é mesma a sua meninge ao entendimento de tão sublime arte, já que esta perdurá para lá do seu indiferente ocaso, só mesmo chorado pela sua prole copulada à força de obrigadas obrigações matrimonias sem nunca ter subido ao éter e ter conhecido as delícias do extâse total desse acto físico.

Pena que os antigos menires e suas funções místicas já não estejam em voga pois era um bom sítio para convidar a ir semelhante feminina criatura friccionar-se na companhia de tantas outras semelhantes criaturas despeitadas de ambos os sexos.

Os cães ladram e caravana passa, lá diz o povo sapiente, e é verdade, mas a dor é imensa!

Numes, misericórdia. Aliviai-me este fardo!

.
.

12 comentários:

Isa GT disse...

Mas não te lembras daquele, velhinho, ditado que diz: vozes de burro não chegam ao céu? Suponho que as das burras, estejam incluidas lol
Bjos

L.O.L. disse...

Quantas e quantas vezes o mesmo desânimo atravessa a minha alma... mas entendo que não nos devemos vencer por ele. Pego na minha guitarra para o espantar...às vezes resulta...outras não. Tento compôr algo diferente mas...falta a inspiração...o que atrai novo desalento. Só me resta outra solução: Largar tudo e vaguear sem destino ao sabor do acaso aventureiro.
Um bom Domingo para ti...

polittikus disse...

Um excelente e belo texto. Apenas para dizeres que estás com um ataaque de perguiça. lololol
PS- Estou a gozar, adorei o texto.

Joao Oliveira disse...

Maneira poética para dizer que uma vizinha mal f... criticou os teus dedos pesados sobre o piano! (brinco!) És um lírico. :) Só me espanta que ainda te surpreenda o choque geográfico-cultural.........

É como dizes os cães ladram a caravana passa.

Bartolomeu disse...

@Isa GT

é bem verdade, as vozes dos asinos, espraiam-se a poucos metros do solo, mas é sempre um incómodo a alguém mais sensível ou fragilizado tal chinfrineira.

Abraço

Bartolomeu disse...

@L.O.L

belas e sentidas as tuas palavras, que em resumo descodificam muita da verdade daquilo que não ousei mencionar tão directamente, podiam até mesmo ser um post!

Obrigado

Abraço

Maionese disse...

só me ocorre uma frase: "o público é muitissimo tolerante, tolera tudo... menos o génio!" oscar wilde.
novos posts em

http://forcanamaionese.blogspot.com/

Otário disse...

a vida tem desta coisas,
sempre tão diferente
em iguais aspectos...
...talvez um descanso
prematuro te aflija
mais a alma...

Bartolomeu disse...

@polittikus

todas as preguiças tèm uma razão de ser e quase sempre significam o mesmmo: a falência de qualquer coisa!

Obrigado.

Abraço

Bartolomeu disse...

@Joao Oliveira

se há alguém que me conhece és tu. Lírico, sim, até demais. Nunca dramático! Ainda assim se aligeirasse a coisa não creio que fosse melhor.

Não me chocaria se fosse uma criança. A sua crueldade deriva da ingenuidade e da falta de educação que os seus progenitores desconhecem ou não sabem dar. Um adulto é diferente, mas neste argumento forma-se o paradoxo.

Ninguém em lado nenhum está imune, o desrespeito pelo elevado, como defesa pessoal para o zelo da ignomínia, fala alto por todo o lado!

Tu sabes como é, afinal da janela da tua casa também já sentiste o mesmo.

Abraço

Bartolomeu disse...

@Maionese

obrigado pelo rasgo de erudição, bálsamo a este âmago existencial. Se me permites irei fazer com estas palavras um post.

Abraço

P.S. - Já lá irei ver o que fizeste desta vez, até já!

Bartolomeu disse...

@Ótario

a vida é relamente uma redundância. Há muito que é um dado adquirido, porém a fé em algo novo e diferente, como uma lufada de ar fresco, é sempre a aspiração do amanhã, mas a insatisfação não me deixa ir a lado nenhum.

Abraço

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails