6 de outubro de 2009

O DIA DE ONTEM




Sendo hoje dia 6 de Outubro, faço em jeito póstumo o assinalamento póstumo à comemoração do dia da Républica portuguesa. Não comemorei nem saí à rua como um folião dessa convicção. Não é uma data popular nem move a massa popular como um 1º de Dezembro - data com a qual tenho uma enorme afinidade e me sinto patriota e orgulhoso de ser português.

Ontem trabalhei. Trabalhei que nem um escravo negro 10 horas seguidas, com uma refrescante pausa ao crepúsculo, para deleite de todos os meus sentidos, em jeito de corrupção de alguns pecados mortais... - ora, bolas para os pecados mortais, castradores do bem estar e harmonia espiritual. Evoco pois as paixões descomplexadas narradas por Bocacccio nos Contos de Canterbury, no qual homem o mais intrínseco observante da moral religiosa, depois de visitado pelo falecido luxuriante irmão, sai à rua para fornicar...

Pois bem, em dia de Républica trabalhei e num quarto com vista sobre a cidade forniquei, borrifando-me para a efeméride. Antes assim, do que que compactuar com quem tudo tira e nada dá... pois o trabalho sai-nos do corpo, e do fruto dele o ordenado.

Alguma coisa contra?


2 comentários:

António Rosa disse...

Caro Bartolomeu,

Nada contra. Tudo a favor. Ainda por cima, com a ideia engraçada da 'corrupção de alguns pecados mortais'. Só alguns? :)

Bartolomeu disse...

Antonio Rosa:

Corrupção... só dos que interessam!

Abrç

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails